Em 2019 as remessas enviadas eram de 21.306 milhões de Escudos e em 2020 cresceu para 22.700 milhões de Escudos

As remessas enviadas pelos emigrantes a Cabo Verde aumentaram 4,5% em 2020, para um recorde de 22.700 milhões de Escudos, segundo o banco central, que destaca a importância desse apoio durante a crise provocada pela pandemia.

De acordo com dados de um relatório deste mês do Banco de Cabo Verde, BCV, as remessas enviadas pelos emigrantes Cabo-verdianos cresceram de 21.306 milhões de Escudos, em 2019, para 22.270 milhões de Escudos em 2020, um novo máximo histórico. “O altruísmo dos emigrantes terá sido sustentado pelos apoios orçamentais que usufruíram nos países de acolhimento e terá contribuído para sustentar a evolução positiva da confiança dos consumidores, pese embora o perfil descendente”, refere o relatório do BCV, indicando que as remessas cresceram 4,5%, no espaço de um ano.

A população de Cabo Verde está estimada em 550 mil habitantes, mas mais de um milhão de Cabo-verdianos vive na Europa e Estados Unidos da América, estando o sistema financeiro dependente das remessas desses emigrantes.